Search

domingo, 20 de outubro de 2013

Análise: o que as séries originais da Netflix têm de diferente das outras?


A Netflix tem em seu catálogo quatro séries originais: Lilyhammer, House of Cards, Hemlock Grove e Orange is the New Black, além da nova temporada de Arrested Development. Séries originais são as de produção própria, disponíveis exclusivamente para o público que acessa a Netflix.

São programas bem diferentes, mas o que têm em comum, e o que têm de diferente para as séries da televisão tradicional? Os executivos da Netflix responderam em parte, e outra parte podemos captar simplesmente assistindo e comparando com outras séries que conhecemos.

Em primeiro lugar, os episódios das séries originais Netflix não precisam ter duração fixa. Em um canal de televisão normal, a programação é rígida e os episódios têm que se encaixar em um tempo pré-determinado. Já na Netflix não há nenhum programa "na grade", esperando para ser o próximo, a não ser o que o próprio usuário selecione. Comparando, por exemplo, os episódios da primeira temporada de Orange is the New Black com a quarta temporada de Breaking Bad, podemos ver que o tempo dos episódios de OITNB varia entre 50 minutos e uma hora, e os de Breaking Bad têm rigorosamente entre 45 e 47 minutos, a não ser o último da temporada, que tem 50.

Essa liberdade significa que o criador pode colocar no episódio uma cena a mais que deixa o roteiro mais claro, ou uma piada extra, ou alongar uma cena interessante. As possibilidades são muito grandes.

Além disso, as séries da Netflix não precisam ter cortes para encaixar comerciais. Quando assistimos a uma série não original na Netflix, como a própria Breaking Bad, podemos notar que em alguns pontos do programa há uma certa pausa na história para encaixar os comerciais. No caso das séries originais, os criadores podem se valer de histórias mais fluidas, sem as pausas narrativas no meio dos episódios.

Outras questões se referem ao binge-watching, a possibilidade do usuário da Netflix poder assistir a vários episódios em sequência. Uma das diferenças é a forma com que terminam os episódios: em Breaking Bad havia sempre um gancho, um suspense para deixar o espectador esperando pelo episódio da semana seguinte. Aliás, um dos grandes atrativos do programa é que Vince Gilligan, o criador, conseguiu ser consistente nos ganchos durante as cinco temporadas. Mas uma série da Netflix não precisa de um gancho tão forte: o usuário não precisa ficar na expectativa durante toda a semana, basta ficar na expectativa por alguns segundos até começar o próximo episódio.

Claro que os ganchos entre episódios continuam deixando as séries interessantes, mas eles deixam de ser tão necessários. Se você está com tempo para assistir ao próximo episódio, e a história está interessante, não é indispensável que haja um grande mistério ou uma grande revelação no final de um episódio para assistir ao próximo.

A Netflix publicou um relatório a seus acionistas em abril afirmando o seguinte:
"Nós acreditamos ter uma grande vantagem sobre nossos competidores no momento de lançar uma série. Eles têm que atrair a audiência, por exemplo, para assistir no domingo, oito da noite. Nós podemos ser muito mais flexíveis. Porque não temos que alocar tempo escasso de horário nobre, podemos continuar mantendo um show que tenha um tempo longo para achar seu público. Isso nos permite a prudentemente apostar em uma temporada inteira, ao invés de um episódio piloto. Além disso, podemos oferecer uma plataforma com mais criatividade para contar a história (duração do episódio variada dependendo da história, sem necessidade de relembrar episódios anteriores, nenhuma noção fixa do que constitui uma "temporada"). Nós acreditamos que isso deixa mais fácil atrair os talentos."

Sobre séries que demoram um pouco para encontrar seu público, apareceu por aqui a tradução do texto "Netflix, Breaking Bad e o sucesso da TV de alta qualidade" que fala exatamente sobre esse assunto. Netflix ajudou Breaking Bad a encontrar seu público e, da mesma forma, suas séries próprias podem levar mais tempo até encontrar o delas.

No geral, é possível afirmar que as séries originais da Netflix têm potencial para serem mais fluidas, montadas para serem vistas em blocos de uma temporada, diferente das séries convencionais que se preocupam com a audiência a cada episódio. Como o criador de House of Cards disse recentemente:
"Eu não escrevi o programa pensando em comerciais ou cliffhangers ou em como uma TV tradicional está estruturada, nem com um episódio particular na cabeça. Tudo nesse programa é rebelde. Nós gostamos de quebrar as regras e de tentar novas coisas."

Com os recentes investimentos da Netflix em séries originais, tudo leva a crer que haverá muitas outras rebeldias interessantes pela frente.

Leia mais:
É necessária uma "sala de guerra" para lançar uma nova série da Netflix

* - Derek e a nova temporada de The Killing não foram consideradas porque não são puramente originais.

Nenhum comentário :

Postar um comentário