Search

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Esqueçam os blockbusters; a Netflix está ficando indispensável a todo mundo, nicho por nicho


A Netflix tem estado nas manchetes por suas empreitadas em programação original. "House of Cards" foi nomeada para vários Emmys históricos, e "Orange is the New Black" já ganhou uma audiência devotada. Com esses dois programas chamativos e a quarta temporada de "Arrested Development", a Netflix tem sido cada vez mais comparada à HBO, que desfrutou dos resultados de várias séries de TV ótimas de sua produção.

A comparação faz sentido por um lado, mas esconde outra faceta interessante da Netflix: ela está se esbaldando nos nichos, nos gêneros e categorias de conteúdo alvo de uma quantidade relativamente pequena de espectadores muito vorazes.

Realmente, a Netflix parece estar construindo pilhas de certos gêneros que eram tipicamente pensados como nichos específicos. Você é fã de comédia stand up? Venha assistir ao especial de Azis Ansari, fique e veja as outras centenas de outros stand ups disponíveis para assistir. Gosta de documentários? Se inscreva e assista "The Square" (um documentário muito elogiado recentemente adquirido pela Netflix), e continue assinando para assistir à variedade sem fim de programação disponível na Netflix. Gosta muito de filmes para TV canadenses? Bom, você entendeu.

Claro, comédias stand up, documentários e filmes originais da CBC não parecem categorias de conteúdo que a Netflix investiria, especialmente para um serviço que se construiu como uma alternativa muito superior à locação física (se você ainda se lembrar dessa opção). Estamos falando de um conteúdo especializado que é muito mais fácil de ser encontrado nas TVs a cabo mais caras do que nos cinemas.

Mas da maneira que as publicações online estabelecem novas sessões que convertem o que pareceriam categorias mínimas em peças centrais, a Netflix parece estar tentando construir uma base de clientes maciça, nicho por nicho.

Em outras palavras, ao invés de meramente competir com a HBO, a Netflix está se transformando em uma alternativa à TV a cabo - com exceção das categorias que dependem de tempo real, como esportes, notícias e previsão do tempo. A Netflix já deixa a sessão "Só para crianças" em destaque na sua página inicial, e fez um recente acordo enorme com a DreamWorks. Não parece com o que faria a "nova HBO", mas faz sentido no contexto de servir uma parte muito especializada do mercado.

E é interessante navegar pelas categorias da Netflix e especular o que, no futuro, ela pode negociar para melhorar seu perfil em outros conteúdos. Uma sessão de filmes independentes parece um desenvolvimento natural. Mas também a música, por exemplo: que tal um show especialmente gravado e produzido pela Netflix? E é notável que os animes tenham um espaço especial na hierarquia de gêneros da companhia.

Juntar várias categorias de nicho não é uma ideia nova, claro - é como a TV a cabo se vendeu antigamente, quando um canal devotado a filmes antigos ou clipes de música parecia muito exótico. Desde então, a paisagem da TV a cabo ficou ainda mais vasta e, francamente, caótica: não há muita música na MTV, e propostas como o canal "Learning Channel" se transformaram em um espaço para reality shows discutíveis.

Um resultado: para muitos clientes de TV a cabo, os pacotes parecem muito inflados - e caros. Obviamente não estou sugerindo, nesse ponto, que a Netflix seja uma substituta para o cabo. Mas você tem que admitir que, na relação custo benefício, já parece um serviço muito bom - e essas manchetes de acordos originais, mesmo que sejam "nichescas", estão só fazendo parecer melhor.

Traduzido do Yahoo News.

9 comentários :

  1. Pra mim já é substituto... não tenho tv a cabo há quase dois anos =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que nos Eua, onde o texto foi escrito, a realidade é um pouquinho diferente e os canais a cabo tem muito mais opções. Mas aqui em casa o cabo foi totalmente abandonado tb.

      Excluir
    2. Acho que nos EUA mesmo, é mais fácil vc substituir o cabo por ela, afinal quem curte esporte lá, assina serviços como MLB online ou NHL online, onde vc assiste jogos ao vivo de qq aparelho (x360, ps3, pc, tc, etc...) podendo trocar câmera, narrador, microfone (som do estádio), acompanhar estatísticas em tempo real e comparar com antigas, e tudo isso em incríveis 1080p. Sabe qto custa??? Mto mais barato que qualquer tv a cabo (24.99).
      E vamos ser sinceros, quem ainda vê previsão do tempo na TV, tendo smartphone na mão???
      A TV fica somente com as notícias em tempo real, e até isso pode estar com os dias contados...

      http://mlb.mlb.com/mlb/subscriptions/index.jsp?c_id=mlb&affiliateId=mlbMENU

      Excluir
  2. Não diria que substitui a TV a cabo, mas pacotes como HBO e Telecine com certeza perderam bastante relevância.

    ResponderExcluir
  3. Netflix: R$ 16 com conteúdo a escolha, sem interrupção/propaganda, longo prazo disponivel
    VS
    Locadora: R$ 5-10 por filme a escolha, sem interrupção/propaganda, curto prazo disponivel
    VS
    Tv a cabo: R$ 40-150 com conteúdo aleatório, com interrupção/propaganda, disponivel em horario aleatório


    Aqui no brasil tv a cabo é a pior opção, é cara, quase não tem canais bons, ficam reprisando muito. É como se todo natal o otário fosse na locadora alugar "um herói de brinquedo" ou "esqueceram de mim", ou todo mês alugasse "senhor dos anéis"(tnt)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha, cara, é assim mesmo, é coisa de colocar nariz de palhaço

      Excluir
  4. Pra mim a cereja do bolo do Netflix hoje são os seriados Ingleses...eu nunca havia me interessado pelas séries da BBC, mas graças ao Netflix virei fanzaço de séries como Luther, Wallander, Sherlock e The Fall.

    Além das séries originais do Netflix, que são fantasticas...estou muito ansioso pela próxima temporada de Lillyhammer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que Doctor Who é uma série que sempre quero ver e sempre vou deixando pra lá? Vou tentar começar essa semana.

      Excluir
    2. André, Doctor Who é bem legal. Tem seus altos e baixos, mas vale a pena...preciso voltar a assistir.

      Excluir