Search

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Ted Sarandos morde e assopra distribuidores de filmes


Ted Sarandos, chefe de conteúdo da Netflix, fez declarações polêmicas durante a semana passada, quando falou sobre o atual modelo de distribuição de filmes para o público. Ontem, em entrevista ao Holywood Reporter, ele amenizou o tom das provocações:

"O discurso [dizendo que os filmes deveriam estrear na Netflix] foi para um grupo de criadores independentes e era um elogio à TV", disse Sarandos, complementando que não queria ofender donos de cinemas.

O executivo também afirmou que continua achando que o modelo de distribuição deve ser renovado, mas com reservas: "Nosso negócio já é complicado o suficiente, eu não iria querer ser dono de um cinema, também. Podem anotar que eu adoro ir ao cinema, e eu não estava exigindo um lançamento mandatório simultâneo no serviço por demanda [Netflix]." Sarandos citou "Gravidade", recém-lançado, como um exemplo de filme que não ficaria bem sendo lançado diretamente para o catálogo da Netflix logo na estreia, por ter um componente específico de teatralidade que só funciona no cinema.

Sarandos falou também sobre projetos futuros da companhia, dizendo que mais temporadas de House of Cards, Orange is the New Black e Arrested Development estão sendo discutidas:

"Eu acredito que se você olhar pra House of Cards, vai ver que pode haver uma terceira temporada bem naturalmente, e podemos ir bem além dela. [Orange is the New Black] é um mundo que pode ser muito, muito persistente. Tem um ótimo potencial de longo prazo. E Mitch Hurwitz tem uma ideia ótima [para Arrested Development]. É um problema de disponibilidade do elenco. Nós queremos fazer as coisas em um momento em que pudermos colocar mais gente do elenco juntos do que conseguimos na quarta temporada - e estamos procurando maneiras de fazer isso agora."

Fonte: The Holywood Reporter

Nenhum comentário :

Postar um comentário