Search

sábado, 31 de outubro de 2015

Empresa que seleciona atores para 3% é acusada de racismo

Um e-mail enviado por uma empresa paulistana contratada para selecionar atores para a série 3%, primeira do serviço de streaming de vídeo Netflix que será totalmente produzida no Brasil, causou polêmica ao falar do "grau de dificuldade" de localizar um ator negro para um dos papéis da trama. A mensagem pedia indicações a agências de talentos para preencher a vaga e foi apontada como racista nas redes sociais.

No correio eletrônico, a +Add Casting diz que a direção do seriado gostaria de um ator negro para o papel. "Então o ideal seria ter um ator negro e muito bonito, mas, conscientes do grau de dificuldade, faremos teste também com os bons atores, lindos, que não sejam negros”, completou a empresa, revoltando internautas e profissionais da área. A empresa disse ao G1 que a mensagem foi mal interpretada.


A Boutique Filmes é a produtora oficial da série no Brasil e afirmou que não tinha conhecimento do e-mail até ele ser amplamente divulgado nas redes sociais. O casting era conduzido pela +Add Casting, empresa terceirizada. De acordo com Thiago Mello, sócio da Boutique e produtor executivo do seriado, "a linguagem usada no e-mail é inaceitável".

"Não quero julgar, nem crucificar ninguém. Se foi racista ou não. Só que não existe mais clima para trabalhar com eles. Esse e-mail vai contra o projeto, que busca retratar a diversidade do Brasil. Não tem condição", disse ele, garantindo que, além do rompimento na série 3%, a parceria entre as empresas também não voltará a acontecer em produções futuras.

A Netflix, por sua vez, fez coro à Boutique Filmes e também afirmou que o e-mail foi enviado sem sua aprovação ou conhecimento. A empresa lamentou o ocorrido e condenou o conteúdo da mensagem que, segundo ela, contradiz tudo em que acreditam. "Estamos trabalhando para tomar as devidas providências", concluiu em post no Twitter.

Por meio de nota, a +Add Casting se defendeu e definiu o episódio como um mal entendido. A empresa pediu desculpas "a todas as pessoas que se sentiram ofendidas" e afirmou que o teor da mensagem "foi equivocadamente mal interpretado como racista".

"Infelizmente, nosso casting é composto de apenas 0,04% (quatro centésimos) de pessoas que se declaram com o perfil negro, o que dificulta de sobremaneira a seleção de elenco. Portanto, a dificuldade a que nos referíamos estava relacionada à quantidade de pessoas com o perfil a ser selecionado", acrescentou a produtora de casting.

A mensagem polêmica foi enviada a um mailing com diversas agências, mas também diretamente a atores e instituições como a Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo.

De acordo com o advogado Angelo Carbone, a ofensa é crime, mas precisa ser denunciada. Qualquer pessoa pode ir ao Ministério Público ou uma delegacia e fazer uma representação. “Existe sim uma possibilidade de abrir um procedimento criminal. O correto é fazer uma representação do Ministério Público. É ele que vai encaminhar esse processo, é ele que vai avaliar esse tipo de problema”, disse.
Após o episódio, internautas passaram a ironizar diversos posts da +Add no Facebook. Em um deles, em que a empresa diz procurar por profissionais como advogados e médicos para a gravação de um comercial, um usuário pergunta se negros poderiam participar da seleção.

11 comentários :

  1. E uma pena que o Brasil virou um país de afetados onde tudo e preconceito ou racismoa tempos e triste ser Brasileiro..;

    ResponderExcluir
  2. Oi Tiago. Perdão mas eu preciso discordar do seu pensamento. Tudo é preconceito? Nesse caso sim! Infelizmente o racismo velado nosso de cada dia, estampa todas as revistas, filmes, comerciais de TV etc.. basta nos atentatmos e mudarmos nosso posicionamento sempre que compactuamos com essas pessoas más. Somos afetados sim! Pra isso temos voz, meios e cor pra nos defendermos.
    Não me surpreende a Netflix como uma empresa de respeito no mercado, quebrar os acordos e contratos com essa empresa (pessoa) racista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como estudante de direito vejo um possível processo uma perda de tempo. Se realmente o casting deles tiver a porcentagem de atores negros que declararam, junte isso com o objetivo de ter um personagem incontestavelmente "lindo" (estamos falando de uma visão de beleza que seja aceita universalmente), junte a isso que querem um ator excelente para protagonizar e está caracterizada a dificuldade de se realizar a seleção neste universo limitado, não importando a cor, religião, se é adepto da cientologia ou não.
      Vamos a um exemplo, uma agência publicitária quer uma atriz negra pra uma publicidade de produtos capilares para "cabelos afros". Mas a empresa tem um casting de negras com o cabelo naturalmente afros limitado, pois a maioria ainda faz alisamentos para se enquadrar no que se chama "beleza" na sociedade eurocentrista que estamos enquadrados. Faz sentido acusar o e-mail que fez a exigência de racista???
      Realmente vivemos na era do "politicamente correto", onde uma declaração assim pode virar caso de policia sem necessariamente ter feito nada que ataque direitos individuais ou coletivos.
      Enfim, essa questão de "raça" somado à ideia do politicamente correto vai conseguir gerar conflitos étnicos graves num futuro bem próximo!

      Excluir
  3. Difícil debater sobre este texto , até porque não acho esta pessoa racista , ela é burra mesmo , as vezes é até negra , ou branca , pode ser até azul igual smurf , mas é burra.

    ResponderExcluir
  4. Oi Jackson, e sempre bom debater com pessoas de opiniões diferentes mas com educação, o que vc já provou ter de sobra apenas não consegui ver nada de maldade real no caso, e hoje no Brasil vivemos uma caça as bruxas em todos segmentos, político, de geneRO, de crença etc. Na minha opinião hoje
    Vivemos a geração mais hipócrita e dodói da história, cresci numa época onde mussum fazia humor que hoje seria inaceitável e nem por isso sou racista pelo contrário acredito que todos passamos por dificuldades para conquistar espaço e mesmo com esses problemas podemos chegar a Vitória independente de cor, gênero ou credo...acredito sim que existe racismo mas isso se repete para todas as raças não apenas para o negro ou você acha mesmo que se eu saísse com uma camiseta escrito 100%branco eu seria bem visto...

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Ainda hoje conversei com uma amiga sobre o ocorrido com a série 3%.
      Devido o fato da empresa de casting declarar a dificuldade de encontrar protagonistas negros, mostra-se apenas como o resultado de uma situação: Existe um discurso intencional do embranquecimento da população brasileira. Hoje e sempre cultuamos o branco como belo. O cabelo crespo como ruim, os expressionismos (Amanhã eh dia de preto, serviço de preto, e blá, blá) tudo isso descaracteriza a etnia de um povo a um ponto das pessoas não se apropriarem/reconhecerem dos elementos que o construiram.Hoje não aceitamos a nossa cor, hoje não SABEMOS a nossa cor. Somos pardos, feito envelopes de escritório. Enfim, resumindo: A empresa não encontra atores negros no casting, por que apenas 0,0004 pessoas de auto-declaram negras.
      Concorda?!

      Leia sobre Colorismo.
      =)

      Excluir
  5. O velho e hipócrita racismo velado e dos que o defendem, preferindo negar a realidade do que admitir o problema!

    ResponderExcluir
  6. É fácil falar que não há racismo quando não é você o negro que não consegue emprego

    ResponderExcluir
  7. É fácil falar que não há racismo quando não é você o negro que não consegue emprego

    ResponderExcluir
  8. Não vi preconceito na frase, mas ela foi bastante infeliz. Mais um estagiário demitido.

    ResponderExcluir