Search

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Netflix poderá investir em sermões online


Segundo reportagem do GospelPrime, a Netflix está começando a investir em programação religiosa com televangelistas. A programação para os usuários dos EUA e Canadá já tem quatro pregadores conhecidos desde o final do ano passado.


"Eu acredito que se Jesus vivesse na Terra hoje, certamente estaria na Netflix", garantiu Ed Young, pastor que vai ter seus sermões disponibilizados online. Segundo ele, a Netflix permite chegar até onde está o povo, como Jesus fazia. "Jesus foi o comunicador mais criativo na história. Se nós precisamos imitar seu modo de agir em tudo, a igreja deve ser a entidade mais criativa no universo", afirmou.

Young acertu com a Netflix a transmissão de 5 episódios de "50 Shades of They", falando de sexo sob a perspectiva bíblica.

A Netflix tem o histórico de não limitar a liberdade criativa dos produtores de conteúdo, mas há uma regra: os programas devem evitar a promoção de produtos e pedidos para os telespectadores fazerem doações.

No Brasil, a programação gospel se resume a filmes e séries, geralmente produzidos pela Record, e alguns shows de música. Mas como a empresa tem tendências globais, é de se esperar que os sermões cheguem ao catálogo nacional mais cedo ou mais tarde.

Fonte: GospelPrime

19 comentários :

  1. Isso é bom, sei que muitos vão achar que esse é um inverstimento que não vale nada, mas a Netflix vem se posicionando em um mercado onde a diversidade e a exclusividade de conteúdo para determinados grupos é indispensável. Que Deus seja louvado, e que a Netflix continue disponibilizando conteúdo para todos por muitos e muitos anos.

    ResponderExcluir
  2. No minimo decadente, espero que não chegue no Brasil. Se os evangélicos não aceitam nada que não seja da religião deles nos seus canais (tv universal, plenitude tv e etc), porque temos que aceitar eles nos nossos canais? Se é pra fazer algo sobre religião no Netflix que sejam abertos espaços iguais para todas as outras religiões. Ter épicos biblicos, alguns documentários, isso é normal, tem que ter de todas as religiões, mas abrir espaço para pregadores (de paredes), isso já é demais....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, o retrocesso continua...

      Excluir
    2. Vc aceitar? Filho nem o netflix nem o mundo gira em torno do seu umbigo pra vc aceitar nada. Não quer ver? Problema teu mas o netflix não é seu pra vc decidir o que não pode estar disponível. Recolha se a sua insignificância

      Excluir
    3. Primeiro que não sou se filho, e segundo que é assim que eu gosto hahahahahahahahahahhahaha nitidamente você ficou incomodado com a minha opinião, essa era a minha intenção, obrigado ;)

      Excluir
    4. Fiquei incomodado não. Só achei engraçado um Zé ninguém querendo decidir o que estará disponível no netflix. Vai ter sermão sim. Conforme se

      Excluir
    5. Hahahahahahah eu decidir? Nossa, só mostra que a minha opinião te deixou mesmo incomodado, nem interpretação de texto sabe... é uma pena, infelizmente no Brasil, mais se envolvem na opinião dos outros do que criam a própria em um post separado..... Crie a sua propria opinião e não se envolva na dos outros por favor Zé Incomodado....

      Excluir
  3. É só pular essa sessão pessoal. A Netflix precisa angariar novos assinantes.

    ResponderExcluir
  4. Já não basta na tv aberta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Netflix é sob demanda assiste quem quer. Quanto mais assinantes mais dinheiro. O negócio estar no catálogo não lhe prejudica em nada.

      Excluir
  5. A Netflix não se interessa em manter os assinantes? Por que não vejo empenho em renovar as temporadas de Hawaii 5-0, Justified, Haven (2ª parte do final da série)?

    ResponderExcluir
  6. A Netflix não se interessa em manter os assinantes? Por que não vejo empenho em renovar as temporadas de Hawaii 5-0, Justified, Haven (2ª parte do final da série)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas essas séries são ruins rsrs. E pelo que sei, nenhuma delas são da Netflix então a renovação teria de ser feita diretamente pelas emissoras que detém os direitos autorais.

      Excluir
  7. Ridículo. Parece aquele momento quando vc pega um ônibus e um evanjegue começa a cantar pra todo mundo ouvir. Ow povo chato.

    ResponderExcluir
  8. Fim da picada. Estão ajudando a fanatizar os crentelhos ao invés de manter os assinantes fiéis a eles. Ao invés de investir em programação de uma estrela deveriam dar continuidade as series e adicionar novos títulos porquê a versão brasileira do netflix continua podre comparado com outras. Decepção total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não sei se vc viu mas começou nos EUA esse negócio. Aqui nem tem ainda.

      Excluir
  9. Se contar como "conteudo nacional" é uma boa... assim atinge os 20% e não vai precisar diminuir o catálogo!

    ResponderExcluir