Search

domingo, 10 de abril de 2016

Vivo sinaliza que vai cobrar mais por uso de Netflix e Youtube


Christian Gebara, executivo da Telefônica/Vivo responsável pela recente fusão com a operadora GVT, falou em entrevista a respeito da polêmica adoção do limite de dados em internet fixa que a empresa começou a adotar este ano. Segundo ele, quem faz uso de plataformas de streaming, como YouTube e Netflix, terá de pagar planos mais caros.

Perguntado sobre como esse limite no uso afeta os usuários, Gebara disse que apenas "uma porcentagem muito baixa" dos usuários será prejudicada, enquanto aqueles que fazem uso leve - nas palavras do executivo, "e-mails e navegação" - serão beneficiados. "Quem faz uso de streaming de vídeos, por exemplo, naturalmente terá que pagar mais", afirmou.

Entretanto, este cálculo mostra que os limites oferecidos atualmente pela Vivo e outras operadoras, como NET e Oi, não são suficientes para os hábitos de muitos dos consumidores. Para a Vivo, porém, essas estimativas estão erradas e são "exageradas", dizendo que foi feita uma análise em sua própria rede de usuários.

Ainda de acordo com Gebara, "a ideia é que o consumo seja como uma conta de luz, onde o cliente pagará apenas o que precisar". O executivo também diz que a adoção de limite de dados em internet fixa, sob pena de corte de conexão, é uma tendência mundial e"um caminho sem volta". Ele não respondeu a acusação de que esse modelo de cobrança fere o Marco Civil da Internet.

13 comentários :

  1. Vergonha, exploradores, em qualquer pais de razoavel nivel tecnologico não ha limites de franquia na banda larga

    ResponderExcluir
  2. Fácil, muda-se ora outra. Vai perder os clientes de fortaleza com certeza como já perderam no celular quando chegou.

    ResponderExcluir
  3. Fácil, muda-se ora outra. Vai perder os clientes de fortaleza com certeza como já perderam no celular quando chegou.

    ResponderExcluir
  4. Pra quem tem tv desses fdp e simples, cancela a tv . paga-se um pouco mais pela BL , e enfiamos esse retrocesso pela culatra desses cretinos.

    ResponderExcluir
  5. Uma vergonha essa operadora, como estão perdendo clientes de TV paga para o netflix arrumaram um jeito de boicotar o serviço de streaming. Cabe a netflix começar a oferecer internet banda larga junto com seu serviço

    ResponderExcluir
  6. Num País que respeita contratos isso já era projeto natimorto. no entanto, moramos num país que não respeita leis, por isso a Vivo e afins passam por cima do marco civil para cobrar por conteúdo diferenciado.

    ResponderExcluir
  7. "a ideia é que o consumo seja como uma conta de luz, onde o cliente pagará apenas o que precisar". Alguém precisa lembrar o executivo que a conta a gente paga pelo uso, e não um pacote de kWh fechado. Ou será que se eu não utilizar toda a banda do meu pacote posso pedir um desconto? Estão tentando burlar o Marco Civil...

    ResponderExcluir
  8. Esse é um país, onde as grandes empresas ,fazem suas próprias leis,como o Marco civil!Capitalismo selvagem sem respeito ao que já foi estipulado em lei!Pode?Aqui pode tudo,a FIESP,já contando com a direita assumindo o poder federal,já declarou que quer mudar as Leis Trabalhistas,eles querem poder tudo,assim como a VIVO,OI,NET e outras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, vc tinha razão até a parte da "direita no poder", compartilhe conosco qual seria essa direita que está assumindo o poder, eu tentei, mas não consegui encontrar ninguém de direita lá..
      Mas VC tem razão, se aqui fosse igual a Cuba (a, parece que não será né!?), nada disso aconteceria.. Se ganhassemos muito bem (só sendo chegado dos poderosos) estaríamos com aquela internet bala de 56kbps e nem reclamariamos por Netflix...

      Excluir
    2. Tomara que mudem as leis trabalhistas mesmo, Deus te ouça

      Excluir
  9. Mais um comentário,o sr.Gebara,executivo da Vivo/Gvt no Brasil,tem alcance internacional,nas suas decisões?Porque a Netflix e Youtube são
    mundiais e qualquer mudança de seus critérios de cobrança,devem ser tomadas globalmente!Ele tem esse poder ou o movimento é a nível internacional?Quem fornece o sinal da Net,no caso turbo,recebe do inscrito mensalmente e o como e o que acessa,dentro da lei é claro,
    é de seu direito e responsabilidade.Não acredito ser legal,essas opreradoras,cobrarem por serviços que não prestam!

    ResponderExcluir
  10. Não vai demorar muito a Netflix vai dar um jeito de custear a internet para assinantes

    ResponderExcluir