Search

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Resenha: "Estocolmo, Identidade Perdida", série argentina da Netflix


Na semana passada estreou na Netflix a série argentina original "Estocolmo, Identidade Perdida", um drama criminal muito bem produzido. A série tem suas virtudes, e é de se estranhar a pouca atenção dada à produção pela imprensa internacional.

Texto com quase nenhum spoiler, siga sem medo

"Confie em mim" é uma frase muitas vezes repetida em "Estocolmo", e cada vez em que a frase aparece o espectador se sente mais desconfiado. A história, uma trama familiar envolvendo exploração sexual, política, justiça e mídia, faz uma mistura interessante de vários temas modernos. Logo nos primeiros episódios a série mostra que tem algo a dizer.

Rosario Santa Cruz (a bela atriz Juana Viale) é uma jornalista televisiva fascinada pelo caso do desaparecimento de Larissa, uma jovem garota raptada. Rapidamente fica claro que Larissa faz parte de uma rede de exploração sexual, e o promotor Franco (o excelente ator Luciano Cáceres) convoca a jornalista para uma conversa.

Franco fala à Rosario sobre um agente, seu meio irmão, infiltrado em uma organização criminosa de exploração sexual, o agente H (Esteban Lamothe). A partir desse momento, fica claro que os personagens têm histórias secretas. Envolvem-se na trama os pais de Rosario (uma deputada e um dono de emissora de TV), bandidos barra pesada, a família de Franco e do agente H, uma garota envolvida com Franco etc etc etc. É difícil não se confundir com tantas intrigas e manipulações.

"Estocolmo" se refere à "Síndrome de Estocolmo", fenômeno psicológico em que a vítima se identifica e até se apaixona por seu captor. A série mostra vários exemplos acontecendo, alguns bem construídos, outros nem tanto. Talvez a fraqueza maior do programa seja a variedade enorme de personagens e temas. A trama se complica cada vez mais e os flash forwards em todos os episódios acabam cansando um pouco. Nos treze episódios, confie em mim, acontecem muitas reviravoltas, talvez mais do que fosse necessário.

Pode-se dizer que "Estocolmo" é parte do esforço latino-americano de fazer uma série que una os elementos bem-sucedidos de dramas criminais norte-americanos com nossas tradicionais telenovelas. Na produção há temas verdadeiramente argentinos, sul-americanos, como corrupção política, exploração sexual, canais de TV sensacionalistas, confusão entre pessoal e público - além do tradicional duelo entre irmãos pela mocinha. Mas há também uma técnica de filmagem já internacional, e plot twists típicos de séries americanas.

"Estocolmo" pode não ser uma série perfeita, mas é um acerto, uma tentativa de abrir um caminho. O criador prometeu que, dependendo do sucesso, pode haver novas temporadas. Estaremos aguardando.

15 comentários :

  1. Comecei a assistir ESTOCOLOMO e apesar de não ser fã de series/filmes em epanhol, a serie está me surprenddendo pela maturidade e intensidade. Assista também o filme Relatos Selvagens e fique por dentro das ótimas produções que estão saindo na lingua espanhola. Vá com convicção, nãO VAI SE ARREPENDER.

    ResponderExcluir
  2. gostei da serie,o ator que interpreta o promotor Franco realmente se destaca no elenco com exelente atuação, espero ver nova temporada!

    ResponderExcluir
  3. Achei péssimo! Num exercício de masoquismo, fui até o último capítulo. Atores canastrões, a começar do Luciano Cáceres; script fraquíssimo; a atriz Juana Viale, se é que se pode chamá-la disso, só é bonita. Não sei como Netflix comprou esse lixo cinematográfico. O cinema argentino é muito melhor do que isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu é louco cara rsrs o piloto já aspira o fracasso,o 2 completou meu argumento,essa serie é horrivel !!

      Excluir
  4. Lembrei da Globo em canais sensacionalista...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deu pra entender o que você quis dizer. Estava reclamando da opinião ou da série?

      Fique à vontade, todo mundo pode pensar como quiser - até quem separa o ponto de exclamação do resto da frase.

      Excluir
  5. Valeu pela resenha ,sabia que tinha alguns ponto alto
    Sabia que o tema principal e foda e ate assustador ,visto pelo
    Mundo o que esta acontecendo esse tema e muito verdadeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até gostei da série, mas podia ser melhor com pouco esforço

      Excluir
  6. Adoro a série não é perfeita,mas os temas são universais´,tráfico humano,corrupção,etc,melhor do que muita porcaria americana,os hermanos mandando ver

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito do cinema argentino e por isso comecei a ver a série com grande expectativa. Mas logo veio a decepção com o roteiro confuso, os muitos flashforwards, a canastrice dos atores (principalmente da intérprete de Isabel). Cada novo episódio, em vez de esclarecer o anterior, tornava tudo mais confuso. Nem parecia uma produção Argentina e sim mexicana.
    Sobre o tema tráfico de pessoas, existem filmes bem melhores como Eden (2012), Para sempre Lylia, Tráfico Humano, entre outros.

    ResponderExcluir
  8. Bom eu to gostando muito da serie, ate agora a cada episodio, da aquele gosto de quero mais, não é uma serie enjoativa, igual muitas, q vc ver o primeiro ep e ja não aguenta prosseguir, fala sobre a realidade em que vivemos, é bem interessante, fiquei surpreendido com essa serie latina, eu to gostando muito, espero q venha ter novas temporadas, mais gosto é gosto ne, muitos gostam e muitos acham horrivel, isso vai do ponto de vista de cada pessoa...

    ResponderExcluir
  9. Na realidade ela acaba e você espera um pouco mais. Esperava mais explicações. A atriz que interpreta a Rosário poderia ser um pouco mais expressiva e ativa na série.
    Gostei, mas gostaria de um desfecho melhor. Dois episódios mais bastariam.

    ResponderExcluir
  10. Fraquíssimo. Apenas imagens bonitas da Argentina, em especial no final. Mas eu não consegui entender a trama, cada vez mais confusa, uma maluquice. De fato, um exercício de masoquismo assistir até o final

    ResponderExcluir
  11. Acho que temos que dar um crédito às produções latino americanas, a série pode não ser aquela perfeição mas se esforça em fazer algo ousado e diferente. Sou fã e admiradora do cinema argentino, com excelentes roteiros e produções! Sinceramente, dá um banho no cinema brasileiro...em relação a esta série, estou indo para o quinto episódio e estou ansiosa pelos próximos, está me mantendo animada e gostei bastante!!!

    ResponderExcluir