Search

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Novidades - 31/01



Novidades de hoje no catálogo da Netflix:

Terror lado b:
Sharknado – Corra Para o 4º (Sharknado 4: The 4th Awakens - 2016)IMDb 4.2
Terror:
The Faith of Anna Waters (Voltando ao catálogo - 2016)IMDb 3.8MC 14
Comédias:
Um amor de vizinha (Voltando ao catálogo - 2014)IMDb 5.8MC 38
Série original:
Shadowhunters (Caçadores de Sombras - 2017)IMDb 6.3MC 452 temporadas/novo episódio
Documentário em série:
Chasing Monsters (2015)IMDb 8.21 temporada
Documentário original:
A 13. Emenda: Oprah Winfrey entrevista Ava DuVernay (2017)
Stand-up original:
Bill Burr: Walk Your Way Out (2017)

13 comentários :

  1. Serie, série, serie, trash trash trash, original original original...a Netflix tem me perdido como cliente nesse último ano, tudo que me fez assinar no começo sumiu. Filmes clássicos, filmes de 80-90, não se vê mais, e aos poucos estão sendo removidos de lá. Lamentável que pra agradar um público que só quer lançamento tenha que sacrificar o outro que está desde o começo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo bem sua frustração, João. O que me atraiu no início, foram exatamente estes filmes mais antigos, com dublagem clássica.

      Muitos deles, inexistentes (nessas versões) em DVD ou Blu-ray. A Netflix, anos atrás, vinha numa crescente boa, colocando coisas novas, mas mantendo um bom catálogo.

      Mas depois que a ANCINE veio com o lance de imposto + cota de filmes nacionais, a Netflix nunca mais foi a mesma e começou esse rodízio de filmes no catálogo, alguns saindo e nunca mais voltando, inclusive ótimas séries como Community e Battlestar Galactica, uma pena.

      Eu ainda considero um bom serviço e uma boa forma de consumir conteúdo sem lançar mão da pirataria. Mas apenas bom, não mais ótimo ou excelente.

      Em vista do tempo menor dedicado aos filmes ultimamente e a discrepância do catálogo da Netflix em relação a minha meta de filmes para o ano, estou pensando em cancelar já que, desta vez, não tenho mais nenhuma vantagem na fidelidade, já que o preço que pago é igual ao dos novos assinantes. Realmente uma pena, a Netflix pode ser boa, mas foi e poderia ser muito melhor.

      Excluir
    2. Se os filmes originais fossem melhores, seria um ânimo a mais =/

      Excluir
    3. Peço desculpas a falta de quebra de linha, acabei comentando pelo smartphone...

      É isso, todo mês pondero o cancelamento de minha assinatura.

      Excluir
    4. É pessoal: Sinto dizer que acabei de cancelar! :-( Estarei com Netflix até 13/02. Mas pretendo continuar acompanhando o blog! ;-)

      Como disse, já ponderava cancelar. Motivos: corte de gastos e "incompatibilidade" entre o que queria assistir e o catálogo disponível.

      No primeiro caso, o grande baque foi o aumento de R$ 30,00 que tive em minha conta de telefone/internet. Não foi por causa da cobrança do ICMS alardeada pela mídia, mas sim a expiração de descontos que eu tinha, com a mudança da GVT para Vivo, a qualidade do serviço e atendimento ficaram péssimos e infelizmente não tenho opção melhor por aqui (A Tim Fibra talvez seria uma boa, mas não atende minha região), então vou continuar com a operadora que estou.

      Já a segunda questão, sobre o catálogo, divide-se em duas partes. A primeira, com certeza, foi o impacto da ANCINE, impostos etc. Antes, os filmes ficavam mais tempo no catálogo e pareciam ir se acumulando, com esse imposto, a Netflix se viu obrigada a fazer o tal rodízio que já comentei antes. A segunda parte está na escolha que ela fez, mercadologicamente correta, talvez, que foi atender o gosto do povão. Com isso, séries boas, mas não tão aclamadas pelo grande público foram totalmente descartadas (Community, Battlestar Galactica de 2004, Life on Mars...).

      Antes de clicar em Cancelar, fiz o teste final: abri duas abas, lado a lado. Numa, Netflix, na outra, esta minha lista de Metas para 2017 do Filmow:

      https://filmow.com/listas/meta-para-2017-l96937/

      São 60 filmes que coloquei como meta para assistir em 2017. Destes, apenas 8 deles estão no catálogo atual da Netflix, ou seja: apenas 13% da minha lista.

      Obviamente, além dos filmes da meta, assisti e vou assistir outros, como foi o caso de Comando para Matar (com dublagem clássica). Mas em vista de que não estou dedicando mais tanto tempo para o audiovisual (estou priorizando a leitura), acho que não compensa continuar por agora.

      Com certeza, devo voltar a assinar ainda este ano. Quem sabe quando colocarem uma nova série boa, gostei muito de Stranger Things e Paranoid, por exemplo. Aliás, neste ponto, a Netflix está mandando muito bem. Mas aquele "espírito" que o serviço tinha no começo, como de trazer filmes antigos e raros com dublagem clássica (e série antigas também, como a Battlestar Galactica de 1978!), séries diferenciadas está se perdendo, o que é uma pena. :-(

      De repente, seria bacana juntar uma galera que representa esta parcela de insatisfeitos (que prezam por um catálogo mais diferenciado eu digo e não apenas que reclamam a falta de filmes recentes) para fazer uma espécie de post, carta aberta para eles ficaram sabendo, mas se o pessoal de lá frequentar o blog, já está dado o recado! ;-)

      Excluir
  2. "Sharknado – Corra Para o 4º" - > Que título sensacional! HAHAHA. Só por causa dele, dá vontade de assistir este filme... humm, melhor não, hehehe.

    ResponderExcluir
  3. Bom, eu já discordo. Prefiro os filmes mais novos, e as séries, a maioria delas, são boas. Pelo preço que se paga no Netflix, a comparar com os preços absurdos e qualidade da tv por assinatura, acho o Netflix uma barganha. Quem cancelar, vai se arrepender e acabar voltando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha perspectiva está perturbada pelo blog, já que assisto muita coisa como trabalho, mas não me vejo mais sem Netflix. Muitas séries boas e filmes diferentes, ainda entram uns antigos bons de vez em quando.

      Estou faz um tempo me preparando pra escrever algo a respeito disso pra cá, vamos ver se sai em breve

      Excluir
    2. Entendo perfeitamente seu ponto Calferr. Veja que entre os motivos que me levaram a cancelar o principal deles não é culpa da Netflix, mas sim da ANCINE. O outro é mais uma questão de gosto mesmo.

      Você tem razão e eu concordo: Netflix tem um ótimo custo x benefício, principalmente em relação às TVs por Assinatura (que assinei uma vez, para nunca mais: pagar para ver propaganda comercial é o cúmulo!).

      Já cancelei outras vezes e voltei. Mas não é uma questão de se "arrepender", uma vez que não há plano de fidelidade, preços diferenciados (como já houve antes).

      Suponha que o catálogo mudasse e ficasse inversamente proporcional ao que você gosta hoje, você continuaria assinando enquanto o catálogo estivesse em desacordo com seu gosto? É mais nessa linha que eu me posicionei.

      Acredito que se não fossem os impostos e ANCINE, a Netflix iria equilibrar bem o catálogo entre produções mais recentes e clássicos, cult etc.

      Boa André, fico no aguardo do seu post! :-)

      Excluir
  4. Netflix tinha Chaves e Chapolim INTEIRO. Episódio que nunca tinha visto na TV. Twilight Zone inteiro. Twin Peaks. Um monte de filme e série antigão que é dificil de achar em boa qualidade hoje em dia.

    Aí removeram e pronto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. REMOVERAM NÃO. FORAM OBRIGADOS.. Chaves e todo o conteúdo da televisa agora é exclusividade do blim.com da própria televisa.. Twin Peaks é de uma operadora de cabo que vai lançar a nova temporada.
      Só o alem e que nao sei razão. Mas imagino nao ter público. Não e obrigação de ninguém saber, mas muitas mudanças foram forçadas por estúdios. Sou do tempo que HBO estava no Netflix EUA. As empresas perceberam que alimentaram um mostro, e criaram seus produtos equivalentes. Agora a Netflix não terá mais a maior parte do cardápio da pix/paramont/warner/universal/ e deve perder no futuro a Fox. Por enquanto só Disney e lionsgate se mantém firmes. Agora ou vc assina 3 ou 4 streamers ou nao terá quase tudo.

      Excluir
    2. Bons pontos levantados. Hoje, tenho preferência por séries com poucos episódios e temporadas. Mas confesso também que outro motivo era o medo de pegar uma série grande e ver ela ser removida antes de terminar. Para quem não é "maratonista", tem esse risco de assistir séries que não sejam originais.

      Essa questão dos estúdios fazendo seus próprios serviços de streaming é um ótimo negócio para eles, mas péssimo para os consumidores. Netflix, mesmo que custasse R$ 50,00 ou mais, ainda assim, seria mais barata que qualquer pacote básico de TV paga. Muitos podem achar que isso irá gerar concorrência mas, infelizmente, só consigo ver mais um cartel se formando.

      Com o conteúdo sendo esparramado para vários serviços, vai se repetir o que já existia na TV Paga: se você pagar "pouco", vai ter acesso a um ou outro programa bom e de "brinde" um monte de coisas que não está interessado. Se quiser ter acesso ao file mignon, terá que pagar a la carte, gastando uma grana preta.

      Não sabia dessa mudança do Crackle, no momento em que escrevo, a versão brasileira ainda está como antes. Usava ele bem de vez em quando, detesto propagandas, mas em se tratando de um serviço grátis, dá para entender (diferente de uma TV paga que, até em canais pay per view, como Combate, são exibidas propagandas...).

      Excluir
  5. Ah a Sony mudou o crackle para assinaturas. Deve focar nele e também em breve..

    ResponderExcluir