Search

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um ano de catálogo da Netflix, dia por dia


A Netflix está mudando. Os assinantes mais atentos já perceberam a mudança no foco do serviço, de programas licenciados (como "Arrow" e "The Flash") para programas exclusivos originais Netflix, como "House of Cards" e "Stranger Things". Mas há outras mudanças mais sutis.

Aqui no blog acompanhamos dia a dia o crescimento do catálogo da Netflix. Confira o gráfico com a quantidade de títulos x tempo (linha azul), acompanhado da linha com a quantidade de filmes (vermelha) e outra com a quantidade de séries (verde). Os dados foram coletados por um ano:

Gráfico de títulos no catálogo Netflix x tempo. Clique para aumentar

Pelo gráfico, a quantidade de títulos ainda está aumentando, mas num ritmo muito menor do que na chegada da Netflix ao Brasil. Em 2011, no primeiro levantamento do blog, havia cerca de 1030 títulos no catálogo. Hoje temos cerca de 3830 títulos, com uma uma média histórica de aumento de  1,5 título por dia. A média de aumento no último ano é muito menor, mais precisamente 0,65 título por dia.

Em setembro de todos os anos temos uma queda acentuada no catálogo por um motivo simples: a Netflix estreou no Brasil em setembro, e muitos títulos têm seus contratos renovados ou cancelados nessa data. Por causa desses cancelamentos devemos levar em conta não só as estreias diárias, mas também os títulos que ficam indisponíveis.

Pode-se verificar que a quantidade de séries aumenta num ritmo mais constante, apesar de baixo. Em 17/02/2015, as séries eram pouco mais de 16% do total no catálogo. Agora, correspondem a pouco mais de 20% do total. O total de filmes está praticamente estável desde o ano passado em números absolutos, mas perdeu espaço proporcional em relação às séries.

Para onde vamos?

Tudo leva a crer que a linha de tendência de crescimento do catálogo vai girar próxima de zero, com saídas e chegadas se anulando. A quantidade de séries deve continuar aumentando, o que deixa os fãs de filmes com menores opções.

Além disso, o número de originais deve continuar aumentando. Teremos um período de estabilização, com novas temporadas de muitas séries e alguns cancelamentos doloridos, como o de "Marco Polo". É pagar pra ver.

2 comentários :

  1. Acho que os grandes estúdios, produtores, canais de Tv, etc., estão "segurando" o Netflix assim que viram uma grande explosão de assinaturas e, em sequência disso, estão lançando ou já lançaram as suas plataformas porque também querem lucrar esse mercado que ainda tem muito a ser explorado.

    Por outro lado, até é bom o Netflix de estar produzindo filmes, seriados e documentários para dar opção aos consumidores, apesar de alguns programas ainda está aquém do desejado. E essa vai ser a tendência do Netflix: produzir mais por conta própria e depender menos desses gigantes do ramo.

    Tem muito chão pela frente. Se souber sobreviver, daqui 5 anos ainda veremos Netflix chegar o mesmo nível de empresa gigante como o do Google, Amazon, Facebook, etc. Caso contrário, ficará para atrás como o Napster.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Netflix já é gigante, não perto do Google, mas é. A quantidade de séries originais é enorme, tem que ter muita bala na agulha :)

      Excluir