Search

sábado, 29 de abril de 2017

Resenha: "Pequenos Delitos", um drama inteligente


Ontem (29) estreou na Netflix o filme "Pequenos Delitos" (Small Crimes), um drama policial original Netflix. A produção do diretor Evan Katz consegue atrair a atenção, mesmo com um plano de fundo muito repisado.

Essa resenha contém alguns spoilers
Joe Denton (Nikolaj Coster-Waldau) está em desgraça. Preso depois de esfaquear quase até a morte um advogado, ele finalmente está saindo da cadeia, mas seu destino não parece guardar dias melhores. Preso entre os erros do passado e as exigências para sobreviver, Joe se sente perdido.

Sua ex esposa e filhas não o querem por perto. Sua mãe não acredita em sua recuperação. Ele vaga por entre os lugares, sem rumo e sem esperança de redenção. Suas frases sobre estar se reabilitando soam ensaiadas e mentirosas.

Para piorar, Joe é encarregado por um colega do passado de matar um mafioso, doente terminal. Ele então se envolve com a enfermeira do criminoso numa tentativa de ganhar acesso ao doente, e acaba construindo mais uma relação perturbada.

"Pequenos Delitos" é um filme cheio de entrelinhas. Nunca se sabe com certeza as verdadeiras razões dos personagens para chegar onde chegaram. Não sabemos por que, exatamente, Joe esfaqueou o advogado. Mas existem segredos compartilhados pelos personagens, e nesses segredos não revelados o filme cresce.

Há muitos filmes sobre policiais corruptos, mas desta vez o protagonista não procura melhorar sua vida. Apesar disso, Joe consegue ficar no limite aceitável para conseguir a empatia do espectador e não soar como um total psicopata. A história de "Pequenos Delitos", é menos sobre um homem procurando redenção, e mais um estudo psicológico sobre como é difícil mudar comportamentos nocivos. A grande maioria dos personagens é absolutamente desprezível, mas Joe também não é apenas um produto de influências externas. Ele não quer ser pego e faz o que acha necessário, mesmo que destrua a vida das pessoas próximas como um furacão.

Gostou dessa resenha? Não deixe de comentar e leia as outras do blog.

Muita gente pode se irritar com os silêncios, a incerteza e a impiedade realista de "Pequenos Delitos", mas o filme deve encontrar  o público certo na Netflix. É por experiências estranhas como essa (ou assistir um filme de terror tailandês) é que pago minha assinatura feliz todos os meses.

André Taffarello

7 comentários :

  1. Respostas
    1. Espero que o texto não estrague o filme hahaha

      Excluir
  2. Amei seu comentário. Excelente. Inclusive a conclusão. Continuaremos em Netflix!

    ResponderExcluir
  3. Caraca eu curti bastante o filme...só vejo comentários ruins sobre o filme

    ResponderExcluir